As classes de motivação estão apinhadas e os livros de motivação são bestsellers. O motivador que pode motivar todo mundo menos a si próprio pode ganhar o mundo, mas nunca sentirá prazer nisso. A experiência ou a história de outra pessoa jamais poderá motivá-lo tanto quanto a sua mesmo. 

Um colegial do time de futebol era o número um dos irresponsáveis. Gostava de jogar e não de treinar. Certo dia o treinador se aproximou e disse que tinha um telegrama para ele.

- Leia para mim, treinador. Era tão preguiçoso que nem sequer quis ler.

O treinador leu em voz alta: "Querido filho, seu pai morreu. Venha imediatamente."

- Tire o resto da semana de licença. Não se importaria de o rapaz tirasse o ano todo de licença.

Chegou o dia de um jogo importante e o garoto apareceu para jogar. Perguntava a todo instante.

- Treinador, posso jogar? Por favor, tenho que jogar. Ele era o pior jogador, nunca esteve motivado ou interessado. 

A primeira parte terminou e já estavam perdendo. O treinador animou os jogadores. O time entrou em campo tropeçando nos próprios pés novamente. O garoto aproximou-se novamente.

- Treinador, deixe-me jogar por favor. O treinador olhou o placar e pensou: você agora não pode prejudicar mais.

Quando o garoto pisou no campo, o time começou a explodir. Ele corria, armava passes, bloqueava, tal qual uma estrela. O time contagiou-se com aquela eletricidade. As arquibancadas foram sacudidas com a vitória do time.

Finalmente o treinador se aproxima e diz:

- Nunca vi uma coisa dessas. O que houve com você no campo?

- Sabe que meu pai morreu? Bem, meu pai era cego. Hoje foi a primeira vez que ele me viu jogar!

Que bom se a vida fosse um jogo e quando chegássemos a uma situação impossível alguém nos entendesse. A pessoa que sabe como ficar motivada não precisa de nenhuma torcida. Tem a motivação em si mesma.

Autor desconhecido